Seguem abaixo alguns links com maiores informações sobre bioderivados e tecnologia agrícola

Ohio Soybean Council

Oxiteno

Ministério da Agricultura - estatísticas

Virginia Tech - statistics

AgBioForum

American Journal of Agricultural Economics

Bioderivados

Bioderivados são uma nova tendência na indústria de produtos químicos. São produtos obtidos a partir de matérias primas vegetais, uma tecnologia também conhecida como oleoquímica.

Com o novo posicionamento do preço do petróleo no mercado mundial e uma movimentação internacional na busca de fontes alternativas de energia, a competitividade de produtos da oleoquímica aumentou significativamente. A tecnologia agrícola permite aproveitamento cada vez melhor das áreas plantadas e o aprimoramento genético leva a aumentos significativos no conteúdo relevante que se deseja extrair.

Um grande volume de investimento vem sendo aplicado em produção de etileno a partir do etanol, álcoois pesados a partir de oleaginosas, além do próprio etanol e biodiesel como substitutos de combustíveis fósseis. Para produtos petroquímicos de terceira ou quarta gerações, que têm contra-tipos oleoquímicos com desempenho semelhante ou até mesmo superior, essa nova ordem é ainda mais evidente.

O foco dos produtos da Nexoleum é a substituição de aditivos petroderivados por bioderivados, para os segmentos de plásticos, tintas, lubrificantes, têxteis, borrachas, entre outros. O objetivo é oferecer materiais com qualidade semelhante ou superior e custos competitivos.

Fatos em números

  • O Brasil possui 1/4 de toda a terra arável do planeta
  • 2.43% do território Brasileiro é ocupado com plantações de soja
  • Soja ocupa 5,75% do total da terra arável brasileira
  • Produtividade de soja no Brasil cresceu 86% de 1990 a 2005 - 1,5 para 2,8 t/ha
  • Pastos, pouco produtivos, representam 20,8% do território nacional
  • Soja representa 26% de todo o volume de exportações do agronegócio nacional
  • Produtividade de etanol cresceu 53% de 1991 a 2006
  • Produção total de soja na safra 2006/2007 superior a 220.000 kt; produção de óleo de soja superior a 35.000 kt*, (significativamente maior que o mercado global de plastificantes de 5.000 kt. )



    * USDA Wasde report